António Costa e Mário Centeno, são dois grandes aldrabões! MENTEM

António Costa e Mário Centeno, são dois grandes aldrabões! MENTEM

Enganam os pobres com conversas da carochinha e papas de farelo! Não, não está nada bem e vejamos:

HOSPITAIS/SAÚDE: equipamentos ultrapassados e avariados, uma prestação de serviços miserável, falta de profissionais e os que existem em protesto contra o governo;

ESCOLAS: degradadas, ensino de pantanas e desorganizado, falta de profissionais e os que existem em protesto contra o governo;

JUSTIÇA: de rastos, práticas dúbias, permiscuidade, o dinheiro fala sempre mais alto, falta de profissionais e os que existem em protesto contra o governo;

TRANSPORTES: na rua da amargura, equipamentos insuficientes, velhos e degradados, falta de profissionais e os que existem em protesto contra o governo;


SEGURANÇA: bombeiros e agentes de autoridade enganados e mal tratados, descoordenação, protecção civil é “jobs for the boys”, falta de profissionais e os que existem em protesto contra o governo;

COMBUSTÍVEIS: os mais caros da Europa, uma carga fiscal insuportável, portugueses em protesto contra o governo;

EDP: a electricidade mais cara da Europa, um dos maiores cambalachos da história da democracia, portugueses em protesto contra o governo;

PPP’s: o maior cambalacho entre políticos e grupos económicos privados, fonte da grande corrupção, prejuízos de milhares de milhões para o estado, portugueses em protesto contra o governo;

SALÁRIO MÍNIMO: diferenciação negativa entre o sector público e o sector privado, trabalhadores de primeira e trabalhadores de segunda, portugueses em protesto contra o governo;

BANCOS: injecções de capital público em bancos privados e desfalque na Caixa Geral de Depósitos na ordem dos milhares de milhões, à custa dos nossos impostos, portugueses em protesto contra o governo;

POLITICOS: ligação directa à corrupção e ao enriquecimento ilícito, benefícios pessoais e familiares, reformas vitalícias, entrada directa nas administrações de grandes empresas, às quais deram enormes contratos enquanto governantes, portugueses em protesto contra os políticos.