O eleitor português é comicamente ridículo

O eleitor português é comicamente ridículo