SIRESP, o sistema assassino, custou 485 milhões de euros