Portugal sai da crise e entra numa boa “esquerda”