E agora digam comigo. Maravilha das maravilhas, “será que a verdade incomoda?”